Como se tornar um designer empreendedor

Muita gente que hoje trabalha como empregado em uma empresa ou agência, exercendo a profissão de designer ainda alimenta um sonho que vem desde os tempos de faculdade: “viver de freela”. Trabalhar em casa, de pantufas, atendendo a clientes do mundo inteiro e montando um portfolio sensacional.

E sabemos que é muito mais viável viver dessa forma, com mais qualidade de vida, sem o stress do deslocamento diário e sem um chefe no seu pescoço (claro que tem os clientes, mas aí é outra história). Pois eu vou ser franco com você. Você só não trabalha dessa forma hoje porque não quer!

Se você é designer e está pensando em dar aquele passo que faltava para começar a trabalhar sozinho, ou até mesmo fazer parte de uma startup, que tal aproveitar esse momento para dar esse passo?

As três regras de ouro de quem trabalha por conta própria

Eu disse antes que você não trabalha por conta própria porque não quer, mas sei que não é bem assim. Se você quiser se aventurar no mundo freelancer ou abrir uma startup, saiba que você precisa levar três regrinhas básicas em sua bagagem:

Regra n.º1: Disciplina

Não comece a pensar em inspiração e em motivação para começar a trabalhar. É preciso ter disciplina para fazer as coisas acontecerem. E ter disciplina significa saber delimitar quando começa a rotina de trabalho, evitar interrupções e principalmente não ficar procrastinando enquanto não surge a inspiração. Seja produtivo e não desperdice o seu tempo, pois trabalhando sozinho, ele vale mais dinheiro do que nunca. Crie uma rotina, tenha disciplina e a inspiração e a motivação surgirão.

Regra n.º2: Planejamento financeiro

Eu sei que a questão financeira é onde aperta o calo de quem vive de freela. E não é para menos, pois você precisa se sustentar. Saiba cobrar pelo quanto realmente vale o seu trabalho, saiba planejar as entregas e, principalmente, saiba gerenciar a sua grana. Pode ser que neste mês você feche um job grande que pague bem, mas nunca se sabe como serão os meses seguintes. Faça uma reserva financeira, para conseguir pagar as suas contas nos tempos de vacas magras, investir em cursos, eventos de networking e equipamentos para o seu trabalho. Caso você ainda não tenha lido o livro do André Beltrão, então esse deve ser o seu primeiro passo!

Regra n.º 3: Não seja medíocre

A mediocridade é importante para a sociedade, pois se estivéssemos repletos de gênios, haveria um grande caos, diz uma reportagem na Revista Super Interessante. E isso não é sobre ser um gênio, mas principalmente sobre ser original, criativo, pensar fora do lugar comum e principalmente ter excelência no trabalho.

A excelência vem acompanhada da admiração, criatividade, inconformismo, rebeldia, inovação, curiosidade e iniciativa. Você saberá que tem excelência e não mediocridade quando enxergar outro trabalho excelente e aquilo motivar você a dar um passo além com o seu trabalho, e não sentir-se invejoso, inerte e propenso à imitação.

Fonte: Felipe Melo – Choco la Design

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s